Benefícios do Magnésio

Benefícios do Magnésio

Benefícios do magnésio

O magnésio é um mineral com diversos benefícios que intervém em mais de 300 reações* do metabolismo humano.

Entre os principais benefícios** destaca-se a contribuição para a redução do cansaço e da fadiga.

*Fonte: MedlinePlus

**Benefícios aprovados pela EFSA (Autoridade Europeia de Segurança Alimentar) e publicados no Regulamento (UE) Nº 432/2012.

Benefícios do magnésio

Além disso, o magnésio contribui para:

- Uma normal função psicológica

- O equilíbrio dos eletrólitos

- A síntese normal das proteínas

- O normal funcionamento dos músculos

- O normal metabolismo produtor de energia

- A manutenção de dentes normais

- O normal funcionamento do sistema nervoso

- A manutenção de ossos normais

- O processo de divisão celular

Perguntas Frequentes

Porque é que o magnésio é necessário?

O magnésio é um dos minerais que desempenha mais funções no corpo humano. Pode ser descrito como um dos nutrientes mais importantes, responsável por controlar, ativar e realizar muitas das reações essenciais à vida e à manutenção da saúde.

Pode-se afirmar que participa em quase todas as reações e processos fisiológicos do organismo. O magnésio desempenha um papel essencial à vida. Participa na síntese de hidratos de carbono (glicose) e nas reações que fornecem energia continuamente a todos os tecidos e especialmente ao cérebro, uma vez que tem um papel fulcral na síntese de adenosina trifosfato (ATP) e na síntese do ácido desoxirribonucleico. Portanto, uma alimentação equilibrada, que atenda às necessidades de magnésio tem um efeito positivo, ajudando a reduzir o cansaço e fadiga.

É importante destacar que em estados de stress, tanto a nível físico como psicológico, aumentam significativamente as necessidades de magnésio. Portanto, há uma necessidade notória de magnésio durante a gravidez e a lactação, bem como em inúmeras atividades desportivas. As necessidades de magnésio aumentam também com a idade e na presença de certas doenças. A diminuição do teor total de magnésio em todo o corpo é sugerida como um fator importante nos casos de arritmias, hipertensão e até enfarte do miocárdio.

Qual a ingestão recomendada de magnésio?

De acordo com os Valores de Referência do Nutriente (VRN), segundo estabelece o regulamento Europeu 1169/2011 de Informação ao consumidor, a recomendação diária de ingestão de magnésio é de 375 mg/dia para os adultos.

É fácil ingerirmos a quantidade recomendada de magnésio?

Alguns dos alimentos que possuem maior teor de magnésio, como é o caso dos frutos secos, possuem um elevado valor calórico, não sendo por isso aconselhável a sua ingestão em grandes quantidades. Outros, como algumas leguminosas, não estão tão presentes na nossa alimentação diária como seria desejável. Assim, nem sempre é possível ingerirmos os níveis desejados de magnésio.

Para quem é recomendável NESCAFÉ Vitalíssimo? 

O novo NESCAFÉ Vitalíssimo destina-se, de forma geral, a todos aqueles que gostam de desfrutar de todo o aroma e sabor do café, especialmente aos adultos que começam a notar que o cansaço e a fadiga os impede de ter um ritmo de vida ativo e que desejam tirar o maior partido de cada dia.  A ingestão de NESCAFÉ Vitalíssimo, quando integrada numa alimentação variada e equilibrada e numa vida ativa, graças ao seu conteúdo em magnésio contribui para a redução do cansaço e da fadiga, fazendo com que se sinta com mais vitalidade.

Que % de magnésio aporta NESCAFÉ Vitalíssimo?
Quantas chávenas por dia necessito de tomar para ajudar a reduzir o cansaço e a fadiga?

Uma chávena de NESCAFÉ Vitalíssimo aporta 15% do VRN (Valor de Referência do Nutriente). Uma chávena contém 2g de NESCAFÉ Vitalíssimo + 200ml de leite meio gordo. Assim, o consumo habitual diário de uma chávena NESCAFÉ Vitalíssimo, favorece o aumento da ingestão de magnésio, o qual contribui para a redução do cansaço e da fadiga, quando integrado numa alimentação variada e equilibrada.

 


Fonte:

Regulamento Europeu 1169/2011 de informação ao consumidor, que define “quantidade significativa”.
Regulamento Europeu 1924/2006 relativo às alegações nutricionais e de saúde.
Regulamento Europeu 432/2012 sobre alegações de saúde específicas aprovadas e as suas condições de uso.