Da terra ao grão

Da terra ao grão

Colheita

Café: Terra e Tempo

 

O CULTIVO DO CAFÉ

 

Já parou para pensar que cada grão de café é uma semente que nasceu dentro de um fruto? E que esse fruto surgiu de uma flor?

Pois é, o nosso querido cafezinho tem muita história para contar. Aqui no Brasil, é uma das bebidas mais consumidas no dia a dia, ficando apenas atrás da água. Porém engana-se quem acha que ele surgiu aqui nas terras tropicais: a lenda mais conhecida é a de que no século 9, onde hoje é Etiópia, um pastor viu suas cabras muito elétricas e dispostas… E isso aconteceu depois de terem comido umas frutinhas que nasciam em um arbusto desconhecido. Tais frutas eram café.

Desde então, o café, considerado energizante e saboroso, espalhou-se pela região das Arábias até chegar à Europa por volta de 1600, e ao Brasil, um século depois.

NATUREZA, CAFÉ E GENTE

Natureza, Café e Gente

Plantar café exige muita dedicação e boas condições naturais para que se desenvolva. Se formos pensar na jornada do café, tudo se inicia com uma muda ou semente plantada na terra. Ao longo de um ano e meio, mais ou menos, essa plantinha terá de ser regada na medida certa (por chuvas ou irrigação), podada para crescer fortalecida e cuidada com carinho até virarem arbustos de 2 a 5 metros de altura.

Passado esse 1 ano e meio de cuidado, a mágica principal acontece. Imagine um campo cheio de flores, pétalas brancas enfeitando cada pé de café. São três dias em que a plantação vive o chamado auge da florada. É momento de comemoração e torcida dos produtores, na espera de que cada flor se transforme em um pequeno fruto, o chamada “café cereja”.

Os frutos de café nascem pequenos e verdes. Ao longo de vários meses, eles vão amadurecendo e crescendo até chegarem à cor vermelha (ou amarela, como na variedade Bourbon Amarelo).

Período da Colheita

O período da colheita vai acontecer, mais ou menos, uns seis meses depois de as primeiras cerejas de café aparecerem nos galhos. Elas estarão maiores e maduras, e prontas para serem colhidas por máquinas (que, em sua maioria, retiram todas as cerejas de uma vez só) ou à mão (o que permite maior seleção e precisão na escolha dos melhores frutos).

Beneficiamento

Depois disso, é preciso separar e preparar o que foi colhido. Essa etapa, que engloba uma série de processos, é chamada de beneficiamento ou pós-colheita. Nessa fase, os grãos mais maduros e com mais potencial são separados e selecionados. O produtor deve escolher se irá deixá-los em seu estado natural, ou se irá descacá-los ou até despolpá-los.

Independente de como for, todos frutos precisam passar pelo processo de secagem, que pode ser feito de forma natural (sol), ou com ajuda de secadores mecânicos.

Por fim, o café que até essa etapa era fruto, agora deve virar grão! Para isso, é feita uma “limpeza” total nele: retira-se a casca, a polpa, a mucilagem e impurezas, para que apenas o grão interno (a semente) de cada frutinho seja mantido. O que fica dessa fase é um grão pequeno e verde, ainda cru. E pronto para ser ensacado.

Assim, anos de trabalho conjunto entre natureza, conhecimento e gente se traduzem em sacas de café "verdes" que irão chegar aos Mestres de Torra para que tragam todos os sabores e aromas contidos em cada grão.

Tipos de Grãos

 

OS DIFERENTES TIPOS DE GRÃOS DE CAFÉ

 

No mundo, existem 120 espécies diferentes de café. Pode acreditar! De todas elas, duas se destacam: a Arábica (Coffea arabica)  e a Robusta (Coffea canephora). 
O Arábica corresponde a 60% das plantações de café no mundo, e traz um sabor adocicado suave e aromático. Já o Robusta fica com os outros 40% da produção, e é conhecido por ser forte, amargo e ter 50% a mais de cafeína.

Veja abaixo as principais diferenças entre eles:

Colheita

CULTIVADO COM RESPEITO

 

Nescafé sabe que café não é qualquer fruto. É planta que evolui junto com quem planta.

Sabendo disso, e também que cada pé plantado é fruto de aposta, trabalho e resiliência, criamos, em 2011, uma iniciativa global. Ela é o nosso compromisso real com toda a cadeia envolvida: com quem planta, colhe, torra e consome café. Desenvolvemos projetos de qualificação da vida dos cafeicultores em relação a como cuidar do negócio familiar, do meio-ambiente e dos processos de produção.

Respeito é o nosso valor-chave, é a base de todas nossas decisões e interações, porque só assim podemos ter a garantia de que cada grão de Nescafé é um grão 100% responsável. É uma longa jornada, mas já estamos no caminho. E você faz parte disso, porque cada xícara faz diferença nesse processo.

Terroir

Terroir

Já ouviu falar em Terroir (forma de pronunciar: "têrruá")? Assim como no mundo dos vinhos, o sabor e o aroma do café que tomamos não depende apenas da espécie do grão ou de como ele foi plantado.

A qualidade do café vem da combinação e relação única entre o solo, o clima, as formas de cultivo e a cultura das pessoas de onde ele cresceu. E é esse conjunto de fatores que chamamos de Terroir.

Degustar um bom café começa por entender de onde ele veio:

  • Qual o relevo e solo onde ele foi germinado? E a intensidade das chuvas que o regaram?
  • Qual clima, temperatura, umidade que ele foi exposto ao longo dos anos de cultivo?

 

A Cultura também é determinante:

  • Qual a história e quem são as pessoas que cuidam daquela terra e das plantações?
  • Quais são suas rotinas, técnicas?

 

Cada lugar tem sua vocação. Basta o encontro entre grão certo e o terroir certo para que a mágica aconteça.

E aqui no Brasil temos terroirs muito peculiares, que se destacam por combinarem clima, relevo e cultura únicos, como é o caso das Serras do Alto do Paranaíba, São Sebastião do Paraíso e da Chapada Diamantina. Os cafés desses locais são classificados como especiais e são sucesso no mundo inteiro.